quinta-feira, 26 de maio de 2011


Série Bairro Abandonado

Tijupá Queimado

Tradicional, mas esquecido pelo poder público do município de São José de Ribamar, o bairro caminha a passos largos para o isolamento e perda populacional; moradores começam a migrar para outras localidades por conta da ausência de políticas públicas

Por Fernando Atallaia
Da Agência Baluarte
       
 Os moradores da Rua Nossa Senhora das Graças no Tijupá Queimado já não sabem o que fazer. Para se locomoverem exploram os mais diversos recursos como pequenas pontes e calçamentos improvisados. As águas torrenciais de chuvas e esgotos invadem casas e automóveis, não raro, todos os dias. Na Rua Principal, a situação não é diferente. Lá os habitantes, devido à profundidade dos buracos, dão às vezes de encanadores e mestres de obras. No Tijupá Queimado os moradores viram prefeito, literalmente.
        
As ruas mais prejudicadas pelo descaso da prefeitura e ausência de políticas públicas são as já conhecidas Rua Principal, Nossa Senhora das Graças, Rua Nova 1 e  Travessa da Rua Nova, claro, dentre tantas outras. O asfalto de péssima qualidade colocado ainda na gestão do antigo prefeito Luis Fernando Silva (que foi ‘forçado’ a calçar algumas ruas do bairro sob pena de interdição, pela comunidade, da MA 201-Estrada de Ribamar à época), já está se indo e as tais ruas ‘asfaltadas’ já começam a dá sinais de erosão e afundamento.
        
Nas últimas semanas alguns moradores já colocaram placa de venda em algumas casas, por conta do período chuvoso,  que todos os anos destroça as vias de acesso do bairro, escavando em mais de 1,70m de altura ruas e avenidas. Para um morador que preferiu não ser identificado, a triste realidade do Tijupá Queimado é conseqüência do descaso do poder público municipal naquela comunidade. ”Todos os anos a gente só vê eles aqui pra pedir voto, ai aparece vereador, prefeito, secretário e os puxa- sacos deles, o nosso bairro está abandonado, falta esgoto aqui, água encanada, a gente anda em cima da lama dia e noite, São José de Ribamar é uma cidade para todos só se for no papel, esse prefeito que ta ai, esse tal de Gil Cutrim não está fazendo nada, o nosso bairro é caso para o Ministério Público e pra Defesa Civil, precisamos de ajuda urgente’’, desabafou.

João Castelo perde para Bia Arôso no trato com buracos

Prefeito da capital do Estado ignora população, imprensa e demais formadores de opinião; enquanto isso embaixo do seu nariz, a cidade patrimônio da humanidade vai se transformando em uma enorme cratera a céu aberto

Por Fernando Atallaia
Da Agência Baluarte
          
 Diluição. O tecido orgânico (pedras, concreto, areia, formações rochosas, magma, dentre outros) de São Luis do Maranhão, cidade patrimônio da humanidade, está sendo diluído para um boqueirão (e este não é turístico, nem tampouco cultural) a céu aberto que desemboca em uma enorme cratera vista sob todos os ângulos e aspectos.
         
Na última semana, numa rodada de debates em um dos bairros da Grande Ilha (Raposa, Alcântara, São José de Ribamar e Paço do Lumiar), João Castelo foi eleito o ‘prefeito buraqueira’, perdendo somente para a sua colega Bia Arôso, do município vizinho de Paço do Lumiar. A disputa foi acirrada, mas Castelo ainda ficou em segundo. Ambos, Castelo e Bia, têm fixação por buracos, deformidades, anomalias e crateras existentes na estrutura de ruas e avenidas. Mais que isso. Também gostam da paisagem e coadunam dos mesmos interesses quando o assunto é um bom buraco.
       
Um pesquisador interessado na realidade da infra-estrutura dos municípios maranhenses se impôs a uma tarefa um tanto quanto singular. Informou a este editor, que a partir do próximo mês (junho) fará uma peregrinação pelos bairros de São Luis e Paço do Lumiar, no intuito de realizar um levantamento para identificar qual município tem maior quantidade de buracos em toda sua extensão. Estima-se que São Luis hoje, tem aproximadamente 879.765 buracos somente nos conglomerados que formam o centro da cidade. Na área periférica, calcula-se um ganho maior, para a felicidade do prefeito, algo em torno de 1.998.132 crateras.
        
Diante dos possíveis dados, Bia Arôso deve avançar nos próximos dias. O bairro expoente da buraqueira sob sua jurisdição, o Paranã, está sendo trabalhado, de acordo com um funcionário da prefeitura que preferiu não ser identificado, pela ‘administração’ da prefeita para não permitir que Castelo usufrua da segunda colocação desta vez. Bia sabe que  buracos são um convite para eventos importantes como carros e pedestres sumindo no vácuo de profundidades ímpares, que somente  o seu município detém. Nesse particular, Paço do Lumiar supera São Luis. Lá não se fala em crianças e adultos caindo em buracos inexpressivos. O formato das crateras em Paço é para carros de médio e grande porte. Talvez por esta razão, é que João Castelo está correndo atrás do prejuízo: deve nos próximos meses anunciar  investimentos  em buracos de maiores proporções.





  
Música em Paço do Lumiar
    
Com uma carreira consolidada no município, o cantor, compositor e intérprete Marcone Cálculo, é o principal nome da música romântica brasileira em Paço do Lumiar; o artista elegeu a cidade como reduto oficial do seu trabalho ainda na década de 90

Por Fernando Atallaia
Da Agência Baluarte
       
Marcone Cálculo já passeou por diversos gêneros da musica romântica brasileira (Sertanejo, Pop, Brega Melody, Seresta e Balada), e vem percorrendo uma trajetória que dialoga com o município de Paço do Lumiar ao longo de mais de dez anos.
      
O cantor formou dupla sertaneja no ápice do gênero caipira Lá pelos idos de 1999,  ao passo que flertou com o pop nacional brasileiro, interpretando nomes como Ritchie, Legião Urbana e RPM. Passou por formações musicais de banda (foi vocalista do grupo ‘Os Iguais’) e conjuntos artísticos que iniciaram trabalhos em Paço, ajudando a formar platéia e público para a música romântica local.
      
Atualmente, o artista vem se apresentando na casa de shows Pitstop localizada no Conjunto Maiobão e se prepara para lançar um disco solo com regravações de clássicos do cancioneiro popular e ainda canções de novos nomes da MPB como o maranhense Zeca Baleiro, seu contemporâneo.
      
Marcone Cálculo é um nome, entre muitos, que busca o fortalecimento da identidade musical em seu próprio município. Intérprete de amplos recursos, Cálculo é uma referência para os novos talentos que surgem em Paço, principalmente no que se refere à continuidade da interpretação de ritmos e estilos musicais de massa que ovacionam o romantismo em grande escala no Estado e demais cidades maranhenses.








sexta-feira, 20 de maio de 2011

       
Câmara de Ribamar concede título a Raimundo Cutrim

Por Fernando Atallaia
Da Agência Baluarte

A câmara de vereadores de São José de Ribamar concedeu na tarde da última quinta-feira (19) título de cidadão ribamarense ao deputado estadual Raimundo Cutrim, em solenidade realizada no plenário Aldenor Pereira Nojosa da casa legislativa. A outorga é uma indicação do prefeito em exercício Beto das Vilas e teve acolhida unânime dos demais membros do legislativo à época de sua aprovação.
Presentes à sessão, os vereadores Lindoso(PSL), Nonato Lima(PP), Marlene Monroe(PTB), Zé Lima(PSB), Negão(PMDB) e Lázaro(PV), prestigiaram o homenageado em pronunciamentos que destacaram a atuação de Cutrim, quando o parlamentar ainda ocupava a pasta da Segurança Pública do Governo do Estado.” É uma honra homenageá-lo pelos serviços prestados ao nosso município, disse Lindoso. Em sua fala, o também deputado e colega de parlamento  Raimundo louro, ressaltou o trabalho desenvolvido pelo democrata ao  longo de sua carreira na área da Política e da Segurança.”Estamos deveras felizes por este reconhecimento, que chega em boa hora,  a um  homem que sempre trabalhou  em prol do Maranhão, tanto na Segurança Pública quanto na Política’’, afirmou.
Em pronunciamento, Raimundo Cutrim fez questão de agradecer aos legisladores locais e pontou algumas lacunas existentes na gestão do atual governo, onde foi incisivo. ”Estou feliz por este momento e agradeço a esta casa pela homenagem, precisamos trabalhar mais por nosso Estado, temos sérios problemas na esfera estadual, principalmente nas áreas da Saúde, Segurança Pública e Educação, de forma que os índices não são bons, quanto a São José de Ribamar, como deputado me predisponho a abraçar os projetos que tragam melhorias para esta cidade, de quem hoje me torno filho, e lutar pelos mesmos’’, garantiu.

quarta-feira, 18 de maio de 2011


Os buracos de João Castelo
  
De como o prefeito de São Luis, João Castelo, ‘aplica’ na sua gestão o que aprendeu no seriado ‘Os Tartarugas Ninja’, sucesso de público no Brasil na década de 90

Por Fernando Atallaia
Da Agência Baluarte
        
Contrariando alguns colegas jornalistas e em especial articulistas em atividade no Estado, tentamos identificar a regra para além da exceção. Para aqueles que defendem que a gestão pública de cidades caminha para o fortalecimento da infra-estrutura e planejamento organizacional do espaço geográfico e ainda prevenção de  possíveis problemas no contexto  do  inchaço populacional dos grandes centros urbanos - daí resultando nos fatídicos pormenores como  avenidas entupidas, mal planejadas e esfaceladas, buscamos algumas perguntas e respostas pertinentes, tendo como exemplo a cidade de São Luis.
      
 Vejamos. O prefeito João Castelo, anda meio arreliado (o líder do executivo é o esculhambador-mor da imprensa da capital) com as inúmeras cobranças feitas a ele em relação ao trânsito caótico da cidade e a diversidade de buracos espalhados em todos os bairros da cidade patrimônio: grandes, médios, pequenos, esbeltos, esguios. Há buraco de toda sorte de tamanho, natureza e espessura. Alguns até são sinônimo de diversão. Outro dia um transeunte desavisado sucumbiu a um buraco de estrutura pequena, descontraído, disse na lata: ’’Esses buracos pequenininhos do Castelo são fogo”. Fogo ou não ( e eu penso que os tais buracos têm muito de  água contaminada, lama fétida e dejetos em vez de fogo), o prefeito João Castelo parece não se importar. Mas por que? Ora, Castelo era, de acordo com um ex- eleitor seu,  que reside em um dos buracos do Cohatrac, um telespectador assíduo do seriado ‘Os Tartarugas Ninja’, aquele que numa visão surrealista mostrava os animaizinhos super-heróis adentrando ao subsolo quando pressentiam o perigo. E assim  o faziam através de um buraco exposto. Castelo não pressente nem tampouco percebe o perigo. Já se vê reeleito e gosta mesmo dos buracos à amostra. É uma satisfação pessoal. Uma alusão ao voto conquistado. A cada buraco, mais um voto, corrobora.
        
É isto. Enquanto a população de São Luis se esmera no debate em torno do calçamento de ruas e avenidas da capital, e alguns outros até confeccionam adesivos, promovem campanhas, os ‘buracos’ de Castelo aumentam vigorosamente. O prefeito está vivendo a primeira e terceira infância num boom de alegria e felicidade extremada. É o ápice da realização intrínseca. Uma nova cratera representa mais uma saída, assim como o era, no seriado exibido pela TV Globo na segunda metade da década de 90, e a essa saída, banquetes e fanfarras, em tom de alta comemoração, são organizados. Uma fonte segura da prefeitura informou a este repórter, que o secretariado do executivo reproduz na íntegra, nas festas promovidas pelo cerimonial do prefeito, as vestimentas de ‘ Os Tartarugas Ninja’, com direito a lutas coreografadas e ataques bem orquestrados, embora gratuitos. Os inimigos na batalha contra o mal? A população ludovicense, que para aqueles que amam uma boa diversão nos esconderijos subterrâneos do desvio e lavagem do dinheiro público, o bom funcionamento de uma cidade como São Luis, se configura um enorme obstáculo.



Vereador Negão reivindica melhorias para Panaquatira

Por Fernando Atallaia
Da Agência Baluarte
         
O vereador Neílson Coelho Negão (PMDB), têm nos últimos meses reivindicado mais melhorias e projetos para o bairro do Panaquatira. Duplicação da via de acesso do complexo turístico e calçamento e reparo na infra-estrutura de ruas e avenidas do bairro, são algumas das indicações do parlamentar que visam melhorar a qualidade de vida daquela comunidade.
      
 Neílson Negão, também solicitou a implantação de um mercado público, que contemple as demandas de compra e venda dos moradores do local, com possíveis programas de geração de renda voltados para a população residente no complexo.” O bairro do Panaquatira é uma atração turística e um grande farol de boas-vindas para os visitantes de nossa cidade, os ribamarenses que moram ali tem de ser mais valorizados com projetos do executivo e programas de apoio aos moradores, como vereador levanto essa bandeira do Panaquatira com maior prazer, senso de responsabilidade e dever cumprido’’, assinalou.

terça-feira, 10 de maio de 2011


Moradores da Rua Principal do Tijupá Queimado são prejudicados pela prefeitura

 Por Fernando Atallaia
Da Agência Baluarte
atallaia.baluarte@hotmail.com
           
Os moradores da Rua Principal do Tijupá Queimado estão sendo prejudicados pela prefeitura de São José de Ribamar. A rua que está totalmente intrafegável, vêm tirando a tranqüilidade e  causando transtorno  aos habitantes do local, que de acordo com a associação de moradores daquele bairro, têm que semanalmente fazer os reparos no perímetro para que transportes e pedestres  possam trafegar , mesmo com desconforto e  dificuldade. De acordo com Ivan morais, comerciante da Rua Principal, a situação está insuportável.” Eu já parei de conferir o tanto de vezes que eu tenho que ajeitar a encanação da rua, porque o carro de lixo da prefeitura quebra a encanação toda vez que passa, a rua é um buraco só, não tem asfalto,  eles só prometeram e nunca fizeram nada, o detalhe é que a rua é  a principal do bairro, imagine se não fosse, como seria, está um caos, carro nenhum passa aqui ’’, explicou.
         
Outro morador do bairro que está sendo prejudicado pelo descaso da prefeitura em relação a rua é o representante de vendas Marcelo Lopes, que falou à nossa reportagem, sobre  os problemas e dificuldades pelos quais vêm passando.” O meu carro nesse momento está quebrado em casa, eu quero saber do prefeito Gil Cutrim , se a rua vai continuar assim ou não, a molecagem vai continuar, só isso que eu quero saber,  porque se eu for conferir só o dinheiro que eu já gastei com o conserto do meu veículo de trabalho já dá uma fortuna, quero ser ressarcido por esses danos, a prefeitura prometeu fazer o calçamento da rua e até hoje nada, pra que a gente paga imposto então, pra que? É uma vergonha , esse prefeito Gil ta saindo pior do que o Luis Fernando, que era só mentira e enganação, até quando nós vamos ter que passar por esse descaso, ate quando? O nosso bairro ta jogado às traças, essa rua já está afundando de tanto buraco, é caso de urgência ’’, desabafou.
segunda-feira, 9 de maio de 2011


Série Cultura na Cidade Balneária

Secretaria de Educação do Município ignora escritor
Antônio Miranda, pesquisador e escritor maranhense, nascido em São José de Ribamar, é ignorado por instituições como a Secretaria de Educação do Município, Instituto Geia e Cortez Editora, que publicam suas obras sem ao menos lançá-las. A distribuição é feita de forma clandestina, sem o conhecimento do autor, que também não recebe direitos autorais. Na cidade balneária, Miranda é a maior referência da história do município e até mesmo a igreja católica da cidade já o ignorou

Por Fernando Atallaia
Da Agência Baluarte
atallaia.baluarte@hotmail.com

Um escritor que sobrevive às expensas de migalhas distribuídas pelo descaso da Secretaria de Educação do Município de São José de Ribamar. Um humanista ignorado pelo próprio poder público que integra e promove. Um intelectual de caráter ufanista perceptível e de alta sensibilidade. Assim é Antônio Miranda, escritor e pesquisador das áreas da literatura, cinema, escultura, desenho e, sobretudo historiografia brasileira, em particular, a ribamarense. Um asceta da melhor linhagem dos prosadores à moda de Humberto de Campos e tantos outros.

O talento e a obra do artista Antônio Miranda estão sendo usurpados. A obra ‘São José de Ribamar (nossa história, nossa cultura e nossa gente- Cortez Editora, São Paulo, 2009)’ de autoria de Miranda, que teve  tiragem inicial  de 6.500 exemplares, está sendo distribuída aleatoriamente pela secretaria de educação do município sem a permissão do autor,  que teve direito a apenas vinte exemplares do total. Já o livro ‘A Lenda de São José de Ribamar’, lançado pelo Instituto Geia de São Luis, não reproduziu as ilustrações do contista nem tampouco fez o lançamento oficial com a presença do autor.

A secretaria de turismo da cidade informou desconhecer as razões pelas quais Miranda está sendo ignorado. A igreja católica local realizou o lançamento do livro editado pela Cortez e Antonio Miranda ainda recebeu um exemplar como leitor. Foi assim que o escritor soube que sua obra já estava em circulação. Miranda promove mostras temáticas e exposições culturais no Centro Municipal de Turismo e Cultura Alcione Ferreira, ligado às secretarias de turismo e cultura do município, onde é funcionário, de forma independente, sem apoio do executivo e suas respectivas pastas. Ao pedir apoio para promover eventos culturais, lhe é sempre negado o direito.

Os moradores do centro da cidade se condoem da realidade do artista, que apesar de sua vasta biografia na área do turismo e cultura, não têm espaço para desenvolver projetos na atual gestão. Para dona Lúcia Helena, moradora do bairro São Raimundo, Miranda é um talento que é humilhado constantemente pelos próprios membros do executivo. ”Ele já deu entrevista até para Globo, ele conhece a cidade mais do que ninguém, mas todo mundo que vêm aqui explora ele, o Antônio não têm espaço nesse governo que ai está, ele está sendo humilhado por eles que são dessas secretarias todas e pelo próprio prefeito da cidade’’, afirmou.





N° de visitas

relogio

Facebook

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:

(98) 9 8767-7101

E-mail:

agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com



Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB