Tentativa de quebra de sigilo da fonte é absurda, diz Abraji
 
O desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, é quem vai decidir sobre a quebra ou não de sigilo telefônico do jornalista Murilo Ramos, da revista Época. A Abraji lançou nota de repúdio à tentativa de descobrir o sigilo da fonte do profissional.

Veja a nota abaixo:

A Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) considera absurda a tentativa de violação do direito constitucional ao sigilo da fonte do jornalista Murilo Ramos, da revista Época.

Em 17.ago.2016, a juíza da 12ª Vara Federal de Brasília Pollyanna Kelly Alves determinou a quebra do sigilo telefônico do profissional. A decisão atendeu pedido do delegado da Polícia Federal João Quirino Florio, que lançou mão do expediente após falhar em identificar a origem do vazamento de relatórios do Coaf à revista, cujas informações foram usadas em reportagem sobre o caso Swissleaks.
O pedido foi endossado pela procuradora da República no Distrito Federal Sara Moreira de Souza Leite.

Resultado de imagem para ABRAJI

É inaceitável que três instituições do sistema judiciário brasileiro tentem violar a garantia constitucional do sigilo da fonte. Se não bastasse a clareza da Carta Magna, o Supremo Tribunal Federal já reiterou, em decisão recente do decano Celso de Mello, que essa garantia “destina-se, em última análise, a viabilizar, em favor da própria coletividade, a ampla pesquisa de fatos ou eventos cuja revelação impõe-se como consequência ditada por razões de estrito interesse público”. Segundo o ministro, “nenhum jornalista poderá ser compelido a indicar o nome de seu informante ou a fonte de suas informações”.

A Abraji repudia esse grave atentado à liberdade de expressão. A decisão da juíza Pollyanna Kelly Alves afeta não apenas Murilo Ramos; coloca em risco um dos fundamentos de toda a atividade jornalística. A Abraji espera que o Judiciário acate o habeas corpus impetrado pela ANER e corrija esse erro crasso o mais rápido possível.


DIRETORIA DA ABRAJI, 9 DE OUTUBRO DE 2O16

Mais de mil vagas de empregos temporários devem ser abertas no Maranhão

Segundo o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC), 55% das empresas do comércio em São Luís apresentaram em setembro desse ano expectativas positivas em relação à contratação de novos funcionários durante os próximos meses.

Segundo o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC), 55% das empresas do comércio em São Luís apresentaram em setembro desse ano expectativas positivas em relação à contratação de novos funcionários durante os próximos meses, o que pode gerar a abertura de até 700 vagas de emprego, já no Maranhão seriam até 1900. Quando comparado ao mesmo período do ano passado, o índice apresenta um avanço de 4,2% na predisposição do comércio da capital em realizar contratações em função do aumento das vendas no final do ano.

Mais de mil vagas de empregos temporários devem ser abertas no Maranhão.

Apesar da confiança do empresário estar moderadamente melhor do que o ano passado, os números relacionados ao volume de vendas no varejo da capital ainda devem influenciar negativamente a efetivação das contratações temporárias este ano. A Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) demonstra que no acumulado dos sete primeiros meses deste ano e nos últimos doze meses até julho, o comércio varejista maranhense registra, respectivamente, um recuo de -7,5% e -9,0% nas vendas, que é superior inclusive do que a média nacional de 6,7% e 6,8%.

A expectativa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio-MA) é que o comércio varejista da capital promova a contratação de 600 a 700 trabalhadores para suprir o aumento da demanda dos últimos três meses do ano. Em todo o Estado, a expectativa da entidade é que sejam criadas em torno de 1.600 a 1.900 vagas de empregos temporários nesse período.

Para o superintendente da Federação do Comércio do Maranhão, João Torres, é importante destacar que o índice de confiança do empresário revela que existe a predisposição em contratar, e que geralmente, os setores que mais contratam nesse período é o de vestuário e supermercado..
 “O índice de confiança demonstra que o empresário está apto a realizar novas contratações para assim fazer boas vendas. Esse é o momento das pessoas buscarem por essas vagas, atualizando e entregando currículos, para conquistarem com esforço e dedicação o seu espaço no mercado de trabalho. Além disso, esse ano existe um incentivo maior para novas contratações, que é o programa Mais Emprego do Governo do Estado, cuja principal ação é o desconto de R$ 500 por mês no ICMS das empresas para cada novo emprego gerado com carteira assinada, o que deve animar e aquecer as contratações para o final de ano”, destacou João Torres.

AS INFORMAÇÕES SÃO DO JP
EDIÇÃO DE ANB ONLINE 

Esquema de fantasmas de Eduardo Braide foi denunciado pelo Fantástico em 2014
Revelação foi feita na estreia do quadro “Cadê o dinheiro que estava aqui?”. Documento mostra que candidato do PMN nomeou quadrilha no próprio gabinete. 


É gravemente caluniosa a afirmação do deputado estadual e candidato a prefeitura Eduardo Braide (PMN), de que ele passou a ser atacado por blogueiros bancados por um deputado estadual. A declaração foi feita no debate de uma TV local, no último dia 30, ao ser questionado pelo deputado em questão a respeito de suas emendas enviadas para o município de Anajatuba.

Esquema de fantasmas de Eduardo Braide foi denunciado pelo Fantástico em 2014
ATOLADO ATÉ O PESCOÇO EM CORRUPÇÃO Eduardo tenta ludibriar eleitores em São Luís, mas na prática a história é outra.
Advogado, filho da velha política e por isso de boa retórica, Braide saiu-se pela tangente ao estilo Collor de Mello ao fazer com que o eleitor entendesse que sua relação umbilical com a Organização Criminosa (Orcrim) que assaltou os cofres de quase 70 prefeituras são ataques criados agora no período eleitoral, e ainda convocou coletiva para avisar à imprensa que vai processar todos que o criticarem sem provas.


Contudo, conforme o Blog  mostra agora, os primeiros processados deveriam ser, neste caso, o programa Fantástico, da Rede Globo, e a Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão.

Documento exibido em reportagem do Fantástico em 2014 mostra que quadrilha era toda nomeada no gabinete de Eduardo Braide
FANTASMAS BRAIDEANOS Documento exibido em reportagem do Fantástico em 2014 mostra que quadrilha era toda nomeada no gabinete de Eduardo Braide.
O primeiro por expor para o Brasil e para o mundo como funcionava o esquema surripiador de verba publica. O segundo por publicar em seu Diário Eletrônico que a quadrilha de assaltantes - aí incluindo o seu próprio pai, o ex-deputado estadual e ex-presidente da AL-MA, Carlos Braide — era toda nomeada em seu gabinete parlamentar, e sequer precisava ir ao local de trabalho, ou seja, eram todos fantasmas.


Cadê o dinheiro que tava aqui?


Na estreia da saga do repórter Eduardo Faustini em sair por todo o Brasil para radiografar a corrupção com verba pública nas prefeituras, o Fantástico lançou, no dia 2 de novembro de 2014, o famoso quadro “Cadê o dinheiro que estava aqui?’’.

O alvo: a prefeitura de Anajatuba, onde quatro empresas de fachada foram contratadas e receberam juntas R$ 9 milhões, dinheiro todo desviado.


No documento exibido no programa, o mesmo publicado pelo ATUAL7 na última sexta-feira 30 (com edição na linha inicial, que mostra a data), aparece o nome de Eduardo Braide, em depoimento de um dos funcionários da empresa fantasma A4 Serviços e Entretenimento Ltda ao delegado de Polícia Federal Francisco Albuquerque Parente Júnior.

Braide é apontado no depoimento como chefe, no seu próprio gabinete parlamentar, dos integrantes da Orcrim, inclusive da esposa de Fabiano de Carvalho Bezerra e o próprio empresário, apontado pela PF e pelo Gaeco (Grupo de Combate ao Crime Organizado) como um dos chefões do esquema criminoso.


Eduardo Braide, que disputa a prefeitura de São Luís em segundo turno contra o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), sempre negou qualquer ligação com os integrantes da máfia e processou quase uma dezena de jornalistas e blogueiros que noticiaram o caso. Mas cópias do Diário Eletrônico da Assembleia Legislativa mostram que ele mentiu, e que o depoimento prestado na Superintendência da PF no Maranhão é completamente verdadeiro.

Trecho do Diário Eletrônico da AL-MA, que mostra que Fabiano Bezerra foi nomeado por Braide em seu próprio gabinete
NOMEANDO Trecho do Diário Eletrônico da AL-MA, que mostra que Fabiano Bezerra foi nomeado por Braide em seu próprio gabinete.
De acordo as investigações e cópias do Diário da AL-MA, Braide empregou no próprio gabinete: José Antônio Machado de Brito Filho, responsável pela montagem dos processos de fraudulentos que desviou verba pública das prefeituras; Matilde Sodré Coqueiro, operadora das empresas de fachada Vieira e Bezerra Ltda - ME, A.J.F. Júnior Batista Vieira - ME, A4 Serviços e Entretenimento Ltda e do instituto Escutec - Pesquisa de Mercado e de Opinião Pública Ltda; Natasha Alves Lesch, esposa de Fabiano Berra; e o próprio Fabiano Bezerra (veja ao lado e baixo o Diário). 


Até mesmo o pai do candidato a prefeito de São Luís, o ex-deputado Carlos Braide, também ganhou um sinecura no gabinete do filho.


Além de configurar prática de nepotismo, Braide pai não somente tinha envolvimento com a quadrilha que assaltou cerca de R$ 60 milhões dos cofres de quase 70 prefeituras, mas era um dos cabeças, sendo apontado pela Polícia Federal e pelo Gaeco como agiota e braço empresarial e operacional de todo o esquema.


AS INFORMAÇÕES SÃO DO BLOG ATUAL7

EDIÇÃO DA AGÊNCIA BALUARTE