quinta-feira, 27 de junho de 2013

 

Ruas e avenidas da cidade estão em processo de deteriorização

Por Fernando Atallaia
Direto da Redação

O prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim(PMDB), precisa dá mais atenção à infraestrutura do município que governa. A constatação é fruto de centenas de reclamações dos ribamarenses chegadas à nossa Redação nas últimas semanas.

Tudo porque o esforço do chefe do Executivo em manter o padrão e a continuidade dos serviços de limpeza, calçamento e pavimentação asfáltica iniciados por seu antecessor não tem sido suficiente para prevenir a deteriorização de ruas e avenidas de Ribamar, e como resultante uma paisagem de caos e destroços já se arrasta por todo município.
Prefeito Gil Cutrim precisa dá mais atenção à Infraestrutura de São José de Ribamar
O ribamarense Luis Dias, que teve seu carro guinchado de dentro de uma das crateras de um bairro da cidade, em contato com nossa reportagem afirmou que ''a cidade está cheia de buracos'' e alertou para a situação das ruas João Alves Carneiro, Rua do Fio, Rua da Alegria e Estrada de Panaquatira, que segundo ele, são os trechos mais afetados na região da Sede. As ruas do bairro São Raimundo também foram citadas por Dias como sendo carentes de medidas emergenciais.

A equipe da Agência Baluarte tentou contatar o secretário de Obras, Habitação e Serviços Públicos da prefeitura municipal, André Franklin para obter informações sobre quais ações a Pasta tem desenvolvido para reverter o quadro crítico da Infraestrutra de São José de Ribamar, mas até o fechamento dessa matéria nenhuma ligação feita a ele foi atendida. As reclamações e os danos aos munícipes continuam.
 


 


 

Texas executa 500ª condenada desde a volta da pena de morte

 

Kimberly McCarthy, de 52 anos, recebeu injeção letal.

Ela foi condenada pelo assassinato de uma idosa em 1997.



Da Associated Press


O estado do Texas, nos Estados Unidos, executou nesta quarta-feira (26) seu condenado de número 500 desde a retomada da pena de morte, em 1982, marcando um novo recorde para o país onde a aplicação desta punição tende a diminuir.

Kimberly McCarthy, de 52 anos, foi  executada com uma injeção letal em "Walls Unit", uma prisão na pequena cidade do Huntsville, no leste do Texas.

Kimberly McCarthy em foto sem data fornecida pelo Departamento de Justiça Criminal do Texas (Foto: AP)
Kimberly McCarthy em foto sem data fornecida pelo
Departamento de Justiça Criminal do Texas
(Foto: AP)

A execução da mulher, condenada pelo brutal assassinato de uma idosa em 1997, durante um assalto em Dallas, também foi a primeira dos Estados Unidos nos últimos três anos.

Mais de um terço das 1.336 execuções já realizadas nos Estados Unidos desde o restabelecimento da pena de morte foram no Texas, que retomou a punição em 1982.

"Apesar disto, esperamos que o número total de execuções nos Estados Unidos caia novamente este ano, e que as sentenças de morte continuem diminuindo", disse Richard Dieter, diretor do Centro de Informação sobre a Pena de Morte (DPIC, na sigla em inglês).


Há atualmente 3.125 pessoas nos corredores da morte de todo o país. Com 78 penas de morte sentenciadas no ano passado, os juízes americanos optam cada vez menos por esta punição (são 75% menos sentenças de morte do que nos anos 90).

Proporcionalmente, os negros são mais condenados à morte do que os brancos, afirma Dieter, que explicou que esta minoria, que compõe 12% da população total, representa 35% dos executados e 42% dos condenados a morte.


Entre 60% e 65% da população do país é favorável à pena de morte.




 
Toma lá. Dá cá com Rycardo Bondim



O cantor e compositor maranhense, natural de Grajaú, Rycardo Bondim é um dos novos nomes da safra musical do estado surgidos sob as interrogações constantes de se fazer arte e música no Maranhão. Bondim, que tem composições suas cantadas por nomes como Kadu Ribeiro, além de instrumentista, é também um jovem produtor cultural entusiasta da cultura produzida em São Luís e dos movimentos musicais aqui nascidos.

Nessa breve entrevista em ritmo de pocket show à série ''Toma lá. Dá cá'', o músico fala de seu projeto atual e da presença do artista maranhense nos debates que se arrolam país afora, atualmente. O bate papo amistoso aconteceu hoje(27) durante um encontro virtual do editor de ANB Online com o compositor. Vamos ao que rendeu.


Por Fernando Atallaia
Da Agência Baluarte
atallaia.baluarte@hotmail.com

 
Agência Baluarte- Foi comentado recentemente que os artistas maranhenses iriam protestar contra a Func e a Secma cobrando cachês dignos e projetos musicais permanentes. Você é a favor dessa manifestação?

Rycardo Bondim- Sim, sou a favor. Mas acho que os artistas também tem que apresentar projeto na Func. Muitos só cobram e não dão um ideia.

Foto: Semana do aniversario de um dos maiores ícones da música brasileira! Parabéns Gilberto Gil muito axé, paz, amor, saúde e harmonia!
O músico maranhense Rycardo Bondim com o bahiano Gilberto Gil

Agência Baluarte- Você lançou um álbum. Como anda a divulgação do disco. Fale-nos um pouco desse projeto.

Rycardo Bondim- Só lancei algumas músicas do CD. O projeto ainda não foi concluído.No total vão ser 13 músicas. Ainda não senti que estão prontas. Ainda falta um patrocínio, por que quero mandar mixar e masterizar em São Paulo.

Agência Baluarte- Na sua opinião, o que falta para a música maranhense 'acontecer' nacionalmente?

Rycardo Bondim- Acho que os artistas devem trabalhar em grupo, como já dizia o mestre a união faz a força, então é isso que falta. Falta um conjunto de ideias entre os artistas maranhenses. Em todos os sentidos. Desde estrutura, qualidade de som a mais divulgação das músicas maranhenses.

 


N° de visitas

relogio

Facebook

Central de Atendimento

FAÇA PARTE DA EQUIPE DA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS BALUARTE

Denúncias, Sugestões, Pautas e Reclamações, ligue:

(98) 9 8767-7101

E-mail:

agencia.baluarte@hotmail.com

atallaia.baluarte@hotmail.com



Sua participação é imprescindível!

Nossos Seguidores

Parceiros ANB