Acusado de estuprar 68 adolescentes em rituais de satanismo é preso no Amazonas

ig

Auxiliar de obras Renato Fragata, 30 anos, confessou que levava meninas para uma seita na qual bebia sangue de animais em cemitérios, onde também as obrigava a fazer sexo com ele

A Polícia Civil do Amazonas prendeu, na quinta-feira (11), na Região Metropolitana de Manaus, um auxiliar de obras acusado de estuprar cerca de 68 meninas adolescentes em uma seita que pratica atos de satanismo. Renato Fragata, 30 anos, confessou os crimes e ainda afirmou, em depoimento, ter praticado aborto em uma das jovens que teria engravidado nos atos.
Renato Fragata: após confessar crimes, ele aguarda julgamento em delegacia de Iranduba
“Ele usava de todos esses artifícios fantasiosos sobre magia negra para persuadir as adolescentes e fazê-las acreditarem que poderiam conseguir o que quisessem através desses rituais demoníacos", apontou o delegado Mavignier, da 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), localizada no Município de Iranduba, na Grande Manaus. As vítimas, mulheres, tinham sempre entre 13 e 16 anos de idade.

EUA se infiltraram em cenário musical cubano para incentivar oposição a governo entre jovens

Por mais de dois anos, a Usaid (Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional) se infiltrou secretamente no cenário hip-hop underground de Cuba, recrutando rappers para desencadear um movimento de jovens contra o governo, de acordo com documentos obtidos pela AP (Associated Press) e divulgados nesta quinta-feira (11/12).

De acordo com os arquivos, a ideia era usar músicos cubanos "para romper o bloqueio de informação" e construir uma rede de jovens que procurassem uma "mudança social" em relação à liderança dos irmãos Castro, no poder desde 1959.
No entanto, a operação foi classificada como amadora e foi mal sucedida. O programa secreto dos EUA também envolveu a empresa Creative Associates International, com base em Washington, DC, que pagou milhões de dólares para minar o governo comunista de Cuba.

Em pelo menos seis ocasiões, as autoridades cubanas detiveram ou interrogaram pessoas envolvidas no programa, confiscando também equipamentos de informática. Segundo investigação da agência de notícias norte-americana, em muitas ocasiões os músicos cubanos não tinham ideia de que eles haviam sido apanhados para uma operação clandestina dos EUA.
Obtidos pela AP (Associated Press) e divulgados nesta quinta-feira (11/12).

Os documentos acessados pela
 AP contêm milhares de páginas que incluem contratos, e-mails, chats preservados, orçamentos, relatórios de despesas, pontos de energia, fotografias e passaportes. Além disso, os arquivos também trazem à tona o projeto doTwitter cubano, outra operação revelada em abril deste ano pela Associated Press.

"As alegações de que o nosso trabalho é secreto ou dissimulado são simplesmente falsas", declarou a Usaid em um comunicado na quarta-feira (10/12). Segundo a agência governamental, seus programas foram destinados a “reforçar a sociedade civil", em lugares onde “muitas vezes o engajamento cívico é suprimido e onde as pessoas são perseguidas, presas, submetidas a danos físicos ou a consequências piores". Já a Creative Associates preferiu não comentar o caso.
Histórico da operação

A princípio, a operação hip-hop foi executada em Cuba pelo sérvio Rajko Bozic. O projeto foi inspirado nos concertos de protesto do movimento estudantil que ajudou a minar o ex-presidente sérvio Slobodan Milosevic em 2000.

Na ilha caribenha, a proposta era recrutar dezenas de músicos cubanos para projetos disfarçados de iniciativas culturais, mas realmente destinados a fomentar um movimento de fãs que desafiassem o governo de Raúl Castro. Rajko Bozic, então, focou em Los Aldeanos, um grupo de hip-hop frustrado com a pressão oficial e amplamente respeitado pela juventude cubana por suas letras contundentes.
Por sua vez, a Creative Associates usou uma empresa de fachada no Panamá e um banco no Lichtenstein para ocultar o rastro do dinheiro de Cuba, onde milhares de dólares foram usados para financiar um programa de TV estrelado por Los Aldeanos.
Em setembro de 2009, o cantor pop colombiano Juanes anunciou show em Havana. Na ocasião, empresários da Creative tentaram persuadir o artista para deixar Los Aldeanos tocarem juntos. A empreitada não deu certo, mas Juanes chegou a agradecer publicamente os rappers após o concerto e foi fotografado com o grupo. O episódio gerou maior popularidade de Los Aldeanos na ilha.

Em um comunicado encaminhado ontem à AP, um porta-voz Juanes, John Reilly, disse que o concerto não teve agenda política e que "Juanes e os outros artistas da organização não têm qualquer conhecimento" da operação norte-americana.

Em agosto de 2010, Los Aldeanos subiu ao palco no Rotilla, um dos maiores festivais de música independente das autoridades cubanas. Diante de uma multidão de cerca de 15 mil pessoas, eles dilaceraram funcionários do governo pelo nome e provocaram a polícia. Após esse episódio, Rotilla passou a ser organizado pelo governo cubano e os integrantes de Los Aldeanos acabaram se mudando para o sul da Flórida, reclamando que era impossível continuar a trabalhar na ilha.

'Ela já esqueceu meu filho antes', diz mãe de bebê morto em carro no Rio

"Ela já esqueceu meu filho antes", acusou a mãe do pequeno Gabriel de Oliveira, de 2 anos, encontrado morto dentro de um carro de transporte escolar no Rio de Janeiro. "Uma vez ela teve a cara de pau de falar: 'Seu filho é um amor, seu filho é muito bonzinho. Então, eu prefiro entregar todas as crianças primeiro, e deixo seu filho por último'. Só que dessa vez ela não entregou", completou, revoltada, Carla Martins de Oliveira.   

Gabriel foi encontrado morto dentro do carro 

A Polícia Civil do Rio está investigando se a condutora do transporte escolar, identificada como Cláudia Vidal da Silva, estava no exercício ilegal da profissão e se cometeu o crime de abandono de incapaz, com resultado morte.

"Ela contou que estava a caminho da creche dele, para leva-lo, como faz diariamente, que ela teve um mal súbito e encostou o carro e desmaiou por cerca de 1 hora e meia. E após acordar e retomar a consciência, infelizmente, o Gabriel já estava em complicações, certamente já sofrendo de alguma convulsão", contou o delegado Gustavo Castro, que investiga o caso.
Se a investigação constatar que houve negligência, Cláudia Vidal da Silva pode responder pelo crime de homicídio.

Fonte: O Globo
Dois acidentes registrados neste sábado
iDIFUSORA
No fim da manhã de hoje, dois acidentes foram registrados na BR 010. Próximo ao Parque de Exposições em Imperatriz, uma motocicleta se chocou com um carro. De acordo com o Serviço de Atendimento Movél de Urgência, as vítimas tiveram ferimentos leves e foram levadas para o Hospital Municipal de Imperatriz.
O outro acidente foi entre um caminhão e um carro, modelo Siena,que deixou uma pessoa morta,na BR-010, próximo ao povoado Cajuapara, em Açailândia. O corpo de Willian Araújo Silva, 52 anos, ficou preso às ferragens.
No acidente envolvendo o caminhão uma pessoa acabou morta 
O veículo teve a parte frontal totalmente destruída ao colidir com um caminhão. Segundo informações, Wlliam é bastante conhecido em Imperatriz, pois trabalha com venda de comerciais de televisão.

A Petrobras, a CBV e o escândalo no vitorioso vôlei brasileiro

Jornal do Brasil

No escândalo em que houve 36 pessoas já indiciadas - companhias estrangeiras, empreiteiras, políticos, uma enorme quantidade de pessoas -, o Ministério Público e a Polícia Federal, com toda a diligência e competência, apontaram para o mundo e o país a maioria dos envolvidos.
Assim como apontaram o volume que os empreiteiros se apropriaram, o volume que os trombadinhas guardaram, não dando tempo para que esses senhores, por mecanismos legais, escondessem o produto do roubo.
Em compensação, um escandalozinho - escandalozinho para os números que se roubam no Brasil - de R$ 30 milhões de um só patrocinador e um só receptor, levou quase ou mais de um ano para ter algum tipo de conclusão.
Escândalo envolvendo o vôlei brasileiro
NO OLHO DO FURACÃO Escândalo envolvendo o vôlei brasileiro: apenas R$ 30 milhões?
Terão tido tempo esses meliantes de esconder seus butins? Com a palavra, o Ministério Público, o Tribunal de Contas e a Controladoria Geral da União. Já não é hora do bloqueio de bens desses apontados como delinquentes?
Nas vésperas da Olimpíada, sendo o vôlei brasileiro um dos expoentes do esporte brasileiro, esse escândalo só serve para desestabilizar ainda mais o que já está desestabilizado no emocional dos esportistas brasileiros após o fracasso da Copa do Mundo.
É um assunto, faltando um ano para a Olimpíada, que só deveria ser tratado pela polícia e a Justiça, sendo afastado das páginas esportivas para que o vôlei, bicampeão olímpico, tricampeão do mundo e duas vezes campeão da Copa do Mundo, não se contaminasse em função de mais uma corrupção no Brasil.
Nas redes sociais os jogadores da seleção reagem, atacando a CBV, seu ex-presidente e dizendo-se "traídos". Esses, duramente prejudicados, como se lê no inquérito, não tiveram nenhum tipo de privilégio do investimento do Banco do Brasil para aperfeiçoar seus desempenhos e alcançar bons resultados.
O que se espera é a ação da Polícia Federal - por haver envolvimento do Banco do Brasil - da Polícia Civil - porque meliantes só merecem, pelo mau exemplo e por terem prejudicado o esporte nacional, a prisão comum - e da Justiça para determinar o tempo que esses senhores, se qualificados como corruptos, deveriam passar detidos.
Esses meliantes não merecem e não podem estar presentes em nenhuma quadra em que jogue o Brasil nas próximas Olimpíadas, porque está provado que eles roubam contra o Brasil.
O balanço da operação que prendeu 118 participantes de uma festa promovida por integrantes do Bonde dos 40, revelou uma realidade assustadora: 60 dos detidos e encaminhados para a SEIC eram menores. Um deles tinha apenas 11 anos de idade. A foto foi encaminhada ao blog por uma pessoa que participou da operação na noite de quinta(11), em uma casa de eventos, na Av. Santos Dumont.

É cada vez mais crescente a quantidade de menores envolvidos com a criminalidade. São presas fáceis nas mãos de traficantes. Muitos vivem na pobreza e distante da escola. Mão de obra fácil e barata para a distribuição de drogas nas áreas dominadas pelo tráfico. São os conhecidos aviões, que desempenham a função de levar e trazer drogas, sem levantar muitas suspeitas. Quando apreendidos, são liberados aos pais ou responsáveis. Em pouco tempo, voltam às ruas.
Muitos desses menores até abandonaram a escola. Os que continuam, em muitos casos, representam ameaças a alguns professores. São muitos os relatos de educadores sobre as ameaças que sofrem de alunos. Muitos até solicitam mudança de escola temendo que as ameaças sejam concretizadas.
Muitos pais já não conseguem ter controle sobre esses menores recrutados pelo tráfico. Quando agem para reverter a situação, ainda sofrem ameaças de morte. Com medo, muitos pais fazem vistas grossas e desistem de resgatar esses filhos.
DECLÍNIO DA SEGURANÇA PÚBLICA Flávio Dino: sem sombra de dúvidas, o seu maior desafio é a decadência do Estado e suas terríveis consequências 
O que fazer, diante dessa triste realidade? Não tem outra saída: investimento em educação em tempo integral, o que possibilitará a retirada de menores das ruas, dificultando o recrutamento pelo tráfico de drogas. É imperioso um trabalho junto às famílias, principalmente as de baixa renda, que residem em áreas de maior incidência de marginalidade, onde a ausência do poder público pode facilitar o avanço do tráfico de drogas. 

Quando o Estado se ausenta, a bandidagem domina. Isso é fato!