Anna Graziella desmente Marcelo Tavares e diz que ex-governadora Roseana deixou R$ 2 bilhões em caixa e todas as contas pagas


Blog do Aquiles

A superintendente da Fundação da Memória Republicana, Anna Graziella, que foi chefe da Casa Civil até o dia 10 de dezembro, em entrevista publicada no jornal O Estado do Maranhão, de proprieade da família Sarney, saiu em defesa da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), depois das declarações do secretário Marcelo Tavares (Casa Civil) sobre um rombo nas contas do Governo, que neste mês de janeiro ficará com um saldo negativo de R$ 82 milhões, por conta das despesas enxertadas em dezembro. Marcelo Tavares também disse que Roseana deixou uma dívida de R$ 1 bilhão e um saldo de apenas R$ 23 milhões em caixa.

E AGORA, QUEM TÁ MENTINDO? Graziella ou Marcelo? 
De acordo com Graziella, até o dia que Roseana passou o governo a Arnaldo Melo, o caixa do Estado registrava um saldo superior a R$ 2 bilhões, ou seja, ela praticamente responsabilizou o deputado Arnaldo Melo pelos gastos que geraram a contabilidade reclamada pela equipe de Flávio Dino. Arnaldo se defende e diz que todos os pagamentos por ele ordenado estavam dentro da legalidade.
Um dos ‘críticos’ das ações policiais, o ainda adversário politico e ex-candidato a Governador, Antônio Pedrosa jogou a rede. Blogosfera também entrou na onda

Por Fernando Atallaia
Direto da Redação

O ex-candidato a Governador e membro de uma comissão voltada para os Direitos Humanos, Antônio Pedrosa, parece ainda continuar sob o papel de adversário politico de Flávio Dino.

Usando a esfera não oficial para divulgar dados sobre a violência, mais precisamente sobre as ações da Policia Militar que culminaram em mortes de bandidos nos últimos dias, Pedrosa preferiu a forma endêmica e sensacionalista ao sugerir um debate acerca da postura da corporação no Twitter.

POLITICALHA E ENDEMIA O ex-candidato a Governador, Antonio Pedrosa: usando a função para promover sensacionalismo na rede
 A PM vem respondendo aos ataques de criminosos que resistindo à voz de prisão revidam atirando contra os policiais.

Após as declarações do ex-candidato, que guardam a clara intenção de mobilizar a opinião pública contra o governo eleito, o militante caiu na graça da blogosfera que assim como os demais desavisados também entrou na onda. Pedrosa ganhou até direito a postagens comentando suas afirmações midiáticas.

O fato é que como membro de uma comissão que tem por finalidade pensar os Direitos Humanos, não é aceitável a delimitação ou escolha proposital da parte que deve ser protegida ou resguardada. Mas no caso do ex-candidato, ele já escolheu para quem apontará os ataques. Quando da morte de vários policias de 2014 até aqui, Antônio Pedrosa não se manifestou num só momento. Os Direitos Humanos aí se calaram. Agora com a morte dos criminosos, o advogado resolve falar. Porque importa agora falar contra a Polícia por ser ela uma autarquia do Governo.

O ALVO O governador Flávio Dino(foto) está sob a mira da Comissão de Direitos Humanos que vem sendo utilizada de forma ilegítima por Pedrosa em projeto de autopromoção 
Pedrosa deixa claro o que lhe interessa. Não é a proteção e a defesa dos Direitos Humanos a todos, sem distinção. O que interessa a ele é usar da premissa de integrante da Comissão para bater em um só lado.


Pelo visto, ele ainda não digeriu a ideia de que já perdeu as eleições. 
Todos contra um ?
Como se não bastassem Fábio Câmara, Fernando Fialho, Antônio Pedrosa, Clodomir Paz, Elisiane Gama, Marcos Silva, Luís Fernando Silva e Ricardo Murad, agora Wellington do Curso já é também pré-candidato a Prefeito de São Luís
Por Fernando Atallaia
Direto da Redação
A menos de dois anos das eleições para Prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior ganhou mais um adversário. E de peso: o recém-eleito deputado estadual Wellington do Curso, do mesmo partido da deputada federal Elisiane Gama.
O deputado estadual Wellington do Curso poderá ser o próximo prefeito da capital maranhense 
Wellington é presidente do Diretório Municipal do PPS; têm sólida e exitosa carreira empresarial e é novo no pedaço. Diferentemente de sua correligionária e amiga Elisiane que já enfrenta acentuado desgaste junto ao eleitorado da capital maranhense que vê com maus olhos o fato de ela ter sido eleita para Câmara Federal, mas focar as intenções políticas na Prefeitura de São Luís em detrimento do mandato para o qual foi eleita. Elisiane Gama tem fama de famigerada e vem caindo em popularidade.

Edivaldo Holanda Júnior enfrentará a pior disputa de sua vida 
Nos últimos dias, Wellington do Curso declarou que tem interesse pela cadeira de Edivaldo e pretende se, por um caso Elisiane recuar, por o nome à disposição do partido para concorrer ao Executivo da capital em 2016.  A possibilidade agradou aos observadores políticos, imprensa especializada e blogosfera. Nas ruas, os ludovicenses comemoraram.