PARA O QUE DER E VIER! MAGISTRADOS APRENDEM TÉCNICAS DE TIRO DEFENSIVO

Magistrados do Maranhão aprendem técnicas de tiro defensivo

Magistrados que atuam na região dos Cocais e outras comarcas participaram, no sábado (6), do Curso de Tiro Defensivo, promovido pela Associação dos Magistrados do Maranhão (AMMA), em parceria com a diretoria de Segurança Institucional do Tribunal de Justiça (TJMA).
O treinamento foi ministrado no Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Piauí (BOPE/PMPI), em Teresina, pelo instrutor Lindemberg Melo e equipe da Diretoria de Segurança Institucional.
Participaram do curso, o presidente da Comissão de Segurança Institucional do TJMA, desembargador Raimundo Barros, e os juízes Elismar Marques, João Pereira Neto, Marcos Aurélio Marques, Carlos Eduardo Mont’Alverne, Paulo Brasil, Raquel de Menezes, Edmilson Lima, Paulo Ribeiro, Alessandro Arrais, Jorge Leite e Marcela Lobo.
Os magistrados receberam instruções sobre as técnicas de tiro defensivo em alvo singular, tiro defensivo em alvos múltiplos, reação a abordagens hostis, além de técnicas e táticas de confronto armado em várias situações. Cada magistrado efetuou em média 120 tiros, com pistolas nos calibres 380 e 40 e revólver calibre 38.

O treinamento foi ministrado no Bope da Polícia Militar do Piauí
ELES NÃO ESTÃO DE BRINCADEIRA Os magistrados receberam instruções sobre as técnicas de tiro defensivo em alvo singular, tiro defensivo em alvos múltiplos, reação a abordagens hostis, além de técnicas e táticas de confronto armado em várias situações
“Esse projeto visa capacitação dos magistrados na aplicação de técnicas que possibilitem o emprego de suas armas de fogo na defesa de eventuais ataques, além de possibilitar a prática do tiro defensivo”, disse o diretor de Segurança, major Alexandre Magno de Sousa.
O representante da AMMA na Comissão de Segurança, juiz Rodrigo Nina, informou que a intenção da Associação é ofertar o treinamento ainda neste semestre para a Região Tocantina e, posteriormente, aos magistrados de São Luís.
O juiz da comarca de Timon, Josemilton Barros, elogiou o nível do curso, destacando a atuação e o preparo do instrutor que soube transmitir técnicas não apenas sobre o manuseio de armas como, também, ensinando a identificar os riscos que os magistrados vivenciam no exercício da profissão e também no dia a dia de cidadãos.
Para o juiz da comarca de Caxias, João Pereira Neto, o curso é uma iniciativa de elevado gesto que demonstra o firme compromisso do Tribunal de Justiça e da AMMA em valorizar as condições de vida e de trabalho dos magistrados maranhenses, especialmente no aspecto da segurança pessoal.
Os participantes receberão certificado com carga horária do curso e laudo de capacidade técnica para manuseio de armas de fogo, que servirá para aquisição e/ou renovação do registro de suas armas.

Da Assessoria de Comunicação do TJMA
PM do Choque permanece internado no Carlos Macieira
Permanece internado no hospital Carlos Macieira, em São Luís, um soldado do Batalhão de Choque da Polícia Militar que foi atingido com tiro durante tentativa de assalto dentro de um ônibus que fazia linha Rio Grande, na estrada de Ribamar. O caso aconteceu no dia 19 de janeiro deste ano.
O soldado teve uma piora no quadro clínico nesta segunda-feira (09), segundo informações do Comando de Policiamento Urbano (CPU)
Na mesma ação, um adolescente de 17 anos morreu durante confronto com o PM. Outros dois adolescentes teriam participado da tentativa de assalto, mas conseguiram fugir. O cobrador de ônibus também foi baleado.
O soldado teve uma piora no quadro clínico nesta segunda-feira (09), segundo informações do Comando de Policiamento Urbano (CPU), e permanece sob os cuidados médicos. O jornalismo da TV Difusora tentou contato com o hospital Carlos Macieira, mas não obteve boletim médico atualizado.
Fonte: iDifusora

POESIA EM CADA ESPAÇO

Por José Neres
A cada dia, milhares de novos versos saem da cabeça de seus autores e ganham vida em uma folha de papel ou na tela de um computador. Alguns desses poemas talvez jamais serão vistos por outras pessoas que não sejam os seus autores. Outros, no entanto, possivelmente um dia serão organizados e diagramados em forma de livro, físico ou virtual, e trarão a seus autores sensações díspares que podem ir do êxtase supremo à mais à mais profunda certeza de que todo o esforço foi em vão. Mas de alguma forma, todos saem transformados da experiência da publicação de um livro.

Há autores que se apressam em ver seus trabalhos enfeixados em um volume, de preferência com uma bela encadernação e com a ostentação do nome em algum lugar da capa. Em casos assim, quase sempre o resultado é desastroso. O que era para ser poesia torna-se um amontoado de palavras em busca de um sentido que nem sempre será alcançado. Às vezes, a Poesia agoniza aprisionada em versos que servem apenas para satisfazer o ego do autor.

Por outro lado, há escritores talentosos que preferem, por diversas razões, não mostrar seus poemas. Em muitos casos, a gaveta trancada se torna o depósito de algumas preciosidades que, misturadas a outros tantos versos comuns cairão no esquecimento até mesmo do próprio poeta.

No entanto, há também o caso dos poetas conscientes de que a Poesia está em todos os lugares, mas que nem sempre é possível reproduzi-la em palavras, porém, quando isso ocorre, é motivo de muita alegria. Esse tipo de poeta sabe que nem tudo o que é produzido vem com a qualidade desejada e por isso mesmo aprendeu a selecionar o que deve e o que pode vir a público nas páginas de um livro.

É nesse último caso que se deve encaixar o experiente e até agora quase inédito Fernando Atallaia, que depois de muito produzir, de muito lutar e brincar com as palavras agora decidiu selecionar seus poemas e publicá-los em forma de livro.

Nota-se, desde os primeiros versos da Ode Triste para Amores Inacabados, que não se trata de um trabalho impulsionado pelo mero desejo de publicar um livro, mas sim de uma obra pensada e planejada com começo, meio e fim. O Poeta sabe que “toda poesia tem suas dependências” e faz o possível para respeitar as intimidades da Poesia. Mas Fernando Atallaia, leitor experiente de poetas das mais variadas estirpes, sabe que a Poesia, embora inspire todo o respeito que uma dama séria exige, também gosta de ser devassada e dessacralizada pelas pessoas a quem ela se entrega.

Embora ainda contido na dessacralização da forma, o autor de Ode Triste para Amores Inacabados aproveita as permissões da Senhora Poesia e imiscui nas sendas dos versos um pouco de sua verve crítica, seu descontentamento com o mundo e um certo desapego às convenções formais. Ele sabe que a Poesia não pode fechar os olhos nem para um homem que, desesperado, pede a amada em casamento, nem para um “cafajeste em quatro tempos” e muito menos pode ficar indiferente às “putas-primeiras das primeiras damas em seus apelos” nem às meninas que não têm cama nas cozinhas e não têm boca para a fome. Ela não é de uma elite. Ela é de todos e de todas.

Mesmo sabendo que “toda poesia tem seu silêncio”, Atallaia opta por uma Poesia que grita aos quatro ventos que quer ir além das belas fachadas da sociedade e que deseja visitar tanto as luxuosas salas de visita, quanto as lúbricas alcovas e até mesmo os mais espúrios banheiros de uma sociedade que já muito se escondeu sob as formas do silêncio e inclusive da própria Poesia.

Com este livro, Fernando Atallaia demonstra que soube (es)colher seus poemas na hora exata e que saber esperar também faz bem à Poesia.


José Neres é Professor Universitário, Escritor e Crítico Literário, membro da Academia Maranhense de Letras. 

Enfermeira reage e diz que agora mesmo é que vai incomodar as barangas

Blog do Luís   

Ao contrário do que muitos imaginavam, a enfermeira Cristina Bastos não se sentiu constrangida e nem tão pouco deprimida com as fotos em que aparece pelada em todas as posições, enviadas pela esposa de um médico com quem ela tem um caso.
Ao contrário do que muitos imaginavam, a enfermeira Cristina Bastos não se sentiu constrangida e nem tão pouco deprimida com as fotos em que aparece pelada
Na sua rede social ela reagiu e disse que não tem arrependimento de ter enviado as fotos para o amante e que agora mesmo é que vai incomodar as feias.
Leia abaixo o que disse a enfermeira Cristina Bastos e clique aqui Só-para-maiores-de-18-anos1 para olhar as fotos íntimas dela.

Enforcamento, tiro no olho e execução, oito homicídios em São Luís no final de semana

O final de semana foi de muitos assassinatos na região metropolitana de São Luís. Foram registrados oito mortes violentas entre sábado e a madrugada desta segunda-feira (9).
Na madrugada de sábado, um corpo deu entrada no Instituto Médico Legal. A vítima foi assassinada a tiros na região da Vila Natal, no Coroadinho. O corpo permanece sem identificação.