CASO MARGGION: TJ NEGA RECURSO E MANTÉM DECISÃO

TJ nega recurso e mantém decisão: Júnior do Mojó e Elias Orlando vão a Júri Popular


A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) negou recurso e manteve decisão do juízo da 2ª Vara de São José de Ribamar, que submete a julgamento perante o Júri Popular o ex-vereador Edson Arouche Júnior, o “Júnior do Mojó”, e o corretor de imóveis, Elias Orlando Nunes Filho.
Acusados de mandar matar o empresário Marggion Lenyer Ferreira Andrade, no dia 14 de outubro de 2011, num terreno no Araçagy, município de São José de Ribamar, Júnior do Mojó e Elias Orlando ingressaram com recurso no TJMA alegando, ausência de indícios e provas sobre sua participação no crime de homicídio, entre outros argumentos.
Elias Orlando e Júnior do Mojó irão a júri popular
O ex-vereador Edson Arouche Júnior, o “Júnior do Mojó”, e o corretor de imóveis, Elias Orlando Nunes Filho irão a júri popular
O relator do processo, desembargador José Bernardo Rodrigues, não acolheu os argumentos dos acusados e verificou a presença de fortes indícios que apontam a participação dos acusados no crime, cabendo ao Júri Popular, enquanto juízo natural, a análise aprofundada do caso.
“Deve a tese defensiva ser examinada, de forma detalhada e pormenorizada, pelo Tribunal do Júri, juízo constitucional competente para o julgamento dos crimes dolosos contra a vida”, ressaltou.
O magistrado citou diversos trechos de depoimentos dos executores do crime e familiares da vítima, dando conta de que o mesmo já denunciara ameaças de morte de estelionatários que pretendiam esbulhar terreno de sua propriedade, sendo seguido por veículos de propriedade de Elias Orlando.
O caso
Os familiares do empresário Marggion Lenyer Ferreira Andrade comunicaram seu desaparecimento na noite de 14 de outubro de 2011.
O corpo de Marggion Andrade foi enterrado numa cova rasa
Marggion Andrade foi morto por um tiro na nuca disparado por Alex, que confessou ter cometido o crime em troca de R$ 15 mil, e citou os nomes de Elias Nunes Filho e Júnior Mojó.
O caseiro Roubert dos Santos e um adolescente confessaram a participação no crime, que teria sido cometido a mando de Elias Filho. Marggion Andrade teria dito ao caseiro que Elias Nunes Filho e Júnior Mojó queriam tomar o terreno de sua propriedade e viviam ameaçando-o de morte.
O caseiro comentou com seu cunhado, o ex-presidiário Alex Nascimento de Sousa, sobre a proposta de R$ 5 mil que lhe teria sido oferecida para matar o empresário.
Marggion Andrade foi morto por um tiro na nuca disparado por Alex, que confessou ter cometido o crime em troca de R$ 15 mil, e citou os nomes de Elias Nunes Filho e Júnior Mojó.

As informações são do TJMA

NEPOTISMO DESCARADO 

Secretário, Márcio Jerry emprega o irmão no governo de Flávio Dino 


Blog do Luís 

Descarado. Essa é a palavra que define a postura do secretário de Articulação Política, Márcio Jerry (PCdoB), que tem o cinismo em dizer nas suas entrevistas que está “extinguindo privilégios”.
Jerry empregou o próprio irmão no Governo Flávio Dino. Isso é extinção de privilégios?
Silas André Saraiva Gomes Barroso, governador Flávio Dino e o secretário Márcio Jerry
FAZENDO COMO SARNEY FAZIA Silas André Saraiva Gomes Barroso, governador Flávio Dino e o secretário Márcio Jerry
O secretário emplacou o irmão caçula, Silas André Saraiva Gomes Barroso, como assessor especial III na Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) – pasta comandada pelo comunista Clayton Noleto.
O mais grave é que para tentar esconder a nomeação do irmão de Jerry, omitiram o sobrenome “Barroso” do nome de Silas. No ato de nomeação publicado no Diário Oficial consta apenas o nome Silas André Saraiva Gomes [Barroso].
Isso é crime.
Abaixo o ato de nomeação do irmão de Márcio Jerry:
Nomeação - Silas André Saraiva Gomes Barroso
Note que eles esconderam o 'Barroso' pra não dá na cara 

Partido vem  sendo alvo de boataria que acusa o Diretório Municipal de ter se alinhado ao Prefeito

Por Fernando Atallaia
Direto da Redaçao

O diretório do Partido Comunista Brasileiro-PCB de São José de Ribamar, através de Josivaldo Correa, presidente da legenda, negou na tarde de hoje(06) em entrevista a Agência Baluarte, via uma rede social , os boatos de que o partido teria se ‘vendido’ para o atual prefeito do município, Gil Cutrim, do PMDB.

Correa foi enfático ao afirmar que o PCB lançará nas próximas eleições candidatura própria ao Executivo ribamarense. O partido vem sendo alvo de críticas de lideranças locais que questionam a ausência da legenda comunista no debate político-social que vem sendo travado em Ribamar nos dias atuais, onde as demais siglas de oposição vem tendo destaque pela atuação permanente.
O presidente do PCB ribamarense, Josivaldo Correa: ''Estamos em processo de reorganização do diretório municipal e seguiremos sozinhos, fazendo oposição, mas dentro do nosso conceito de atuação que é bem diferente da atuação dos demais partidos, não temos nenhuma relação institucional com o prefeito, não tem isso de se vender, o PCB é um partido que caminha independente e é soberano, sempre''. 

Josivaldo Correa explicou que o partido presidido por ele destoa da forma com a qual os demais partidos vem conduzindo o processo oposicionista em São José de Ribamar, e que não se unirá às frentes de oposição que surgiram na cidade, atualmente.

‘’ Estamos em processo de reorganização do diretório municipal e seguiremos sozinhos, fazendo oposição, mas dentro do nosso conceito de atuação que é bem diferente da atuação dos demais partidos, não temos nenhuma parceria política ou institucional com o prefeito, não tem isso de se vender, o PCB é um partido que caminha independente e é soberano sempre, lançaremos, inclusive, candidatura própria em 2016'', disse ele.


O PCB ribamarense nos últimos anos se ausentou do debate e da discussão da realidade do município. Josivaldo atribuiu  o hiato à discordância que a legenda impõe diante dos demais partidos de oposição existentes hoje em Ribamar. ‘’Não concordamos com a maneira com a qual alguns partidos que se dizem oposição trabalham em Ribamar; não buscamos cargos públicos, não queremos espaço no  governo; queremos organizar a sociedade e conscientizá-la para melhor escolher seus representantes, é uma outra forma de vê as coisas, assim é o PCB ribamarense’’, finalizou o comunista. 

Algo de estranho no reino do prefeito Eric Costa

O prefeito de Barra do Corda (MA) afastou três servidores responsáveis pela folha de pagamento


Blog do Carlinhos 

De uma hora para outra, três servidores da Prefeitura de Barra do Corda que trabalhavam no setor pessoal (responsável pela folha de pagamento da Prefeitura) foram afastados de seus respectivos cargos. Com um agravante: um deles é tio do prefeito. Esses afastamentos têm dado o que falar na cidade, principalmente nos órgãos públicos municipais. São diversos e preocupantes os comentários. Os cordenses estão com a pulga atrás da orelha.

O prefeito de Barra do Corda, Eric Costa: porque ele afastou os servidores responsáveis pela folha de pagamento ?
Os habitantes de Barra do Corda buscam saber por que o prefeito determinou o afastamento dos funcionários Sergio Barbosa, Rubinho e Chiquinho do setor de Recursos Humanos da Prefeitura. 


De fato, há algo de estranho no reino do prefeito Eric Costa e somente ele tem o poder de revelar esses mistérios...
Maranhãozinho e Presidente Médici terão de prestar contas de recursos federais.
A Controladoria Geral da União vai fiscalizar a utilização de recursos federais destinados a duas cidades do Maranhão: Presidente Médici e Maranhãozinho.