Mulher é degolada pelo companheiro após ele ver mensagens no WhatsApp

Uma mulher, identificada como Patrícia Pereira da Silva, 20 anos, foi morta de maneira bárbara na madrugada desta quinta-feira, 19 de março na Rua Sergio Loretto, centro da cidade de Angelim.

5080192f8ffb445ddc96739030b3a4ca
O casal Renato Guilherme da Silva, de 24 anos, e Patrícia Pereira da Silva, de 20 anos, haviam chegado da festa de São José quando começaram a discutir
O casal havia chegado de uma festa, em casa o companheiro de nome Renato Guilherme da Silva depois de flagrar uma conversa da companheira, Patrícia Pereira da Silva, de 20 anos, com um homem no aplicativo de mensagens WhatsApp, entrou em discussão com a esposa e acabou agredindo-a com facadas e depois decapitou.
mulher-é-assassinada-e-decapitada-em-angelim-agresteviolento.com-1-620x465
O corpo de Patrícia no chão sem a cabeça 

A polícia informou que após cometer o crime, o homem teria ido na casa dos pais e confessado o homicídio. Em seguida, ele fugiu em uma motocicleta. Até o momento, o suspeito não foi localizado. O corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML), em Caruaru, também no Agreste, para os procedimentos cadavéricos.

Fonte: divulga petrolina 
Um jovem dominicano de 22 anos casou-se com uma mulher milionária americana de 72 anos.


Screen Shot 2015-01-29 at 12.15.54 PM
O selinho da eterna felicidade 
O jovem diz que casou-se por amor, mas parece bem difícil de acreditar, porque nós sabemos que isso geralmente só acontece por um motivo, não é mesmo pessoal? 

Bem, neste caso dois motivos, pois além de ser milionária a sra. de 72 anos ainda é americana, o que garantirá o tão sonhado Green Card. Como podemos ver há diversos interesses envolvidos.
Screen Shot 2015-01-29 at 12.15.31 PM
O AMOR NÃO TEM IDADE Eles estão completamente apaixonados 
O apresentador e comediante Jô Soares costuma dizer que dinheiro compra até amor verdadeiro, por exemplo, o homem compra flores para a mulher, a leva para jantar em um restaurante caro, estes tipos de agrado podem fazer com que a mulher sinta-se realmente atraída por este homem e chegue a amá-lo. Eu particularmente concordo com a afirmação de Jô Soares, mas não acredito que esse seja o caso para este casal.

Por exemplo, lembram quando o Reinaldo Gianecchini casou-se com Marília Gabriela? Eles viveram muitos anos juntos, mas a Marília Gabriela cá entre nós ainda está inteirona, além de ser muito inteligente. Não duvido que ele tenha realmente se apaixonado por ela. Agora essa senhora, sem querer desmerecê-la nem nada, até porque não conheço todas as suas qualidades, mas acho bem estranho… 

E você, qual a sua opinião sobre o assunto? Conte para nós aqui embaixo.
Fonte: nicenews

Punição aos bares que venderem bebidas alcoólicas para menores começa hoje
Pesquisa aponta que jovens conseguem obter produtos do gênero em 73% das vezes


“Bar famoso não vende bebida para a gente, mas boteco vende direto.” “O que mais tem é ‘de menor’ entrando nas baladas com carteira de estudante falsificada. Se passar da portaria, lá dentro a bebida é liberada.” “Nos shows grandes, não pode beber, mas nos eventos menores é fácil.” A conversa informal com estudantes do ensino médio, na faixa de 16 anos a 18 anos, sentados em bares depois da aula, ainda uniformizados, mostra que não será uma tarefa simples fiscalizar o cumprimento da lei sancionada ontem pela presidente Dilma Rousseff. A partir de hoje, donos de bares, padarias ou supermercados que fornecerem bebida alcoólica a crianças ou adolescentes abaixo de 18 anos podem ser presos, além de pagar multa entre R$ 3 mil e R$ 10 mil.

Resultado de imagem para BEBIDAS PARA MENORES

Na lei antiga, o bar respondia apenas por contravenção penal. O proprietário sofria uma advertência e pagava multa. Com a nova legislação, corre o risco de pegar de dois a quatro anos de cadeia. A medida reforça o Estatuto da Criança e do Adolescente e pode ser estendida a outros produtos que causem dependência física ou psicológica.
Estudo da Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas (Uniad) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), feito em 100 estabelecimentos comerciais em 2012, revelou que os adolescentes foram bem sucedidos em comprar bebidas alcoólicas em 73% das vezes. As lojas de conveniência foram as que ofereceram maior resistência à venda de bebidas aos jovens, com 50% de recusa, seguidas de bares, restaurantes e supermercados, com negativa em 33% dos casos As que menos recusaram a venda foram padarias e lanchonetes, com 11% e 12%, respectivamente.

A idade dos adolescentes foi questionada em 31% das vezes e, em 18% das vezes, o documento de idade foi solicitado. Entretanto, dos 32 atendentes que perguntaram a idade, 10 venderam após obter a informação. Os grupos de pesquisadores eram formados por jovens com idades entre 14 e 17 anos. “Os jovens podem ficar bêbados com mais facilidade do que um adulto. Ele perde a capacidade de controlar a impulsividade característica da idade, que ficará aumentada pelos efeitos do álcool”, alerta o médico Valdir Ribeiro Campos.

Gato é encontrado em leito de UCI do Hospital do Câncer do Maranhão

A deputada estadual Andrea Murad (PMDB) fez hoje uma denuncia alarmante no plenário da Assembleia Legislativa.
A parlamentar apresentou fotos da Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) do Hospital do Câncer Tarquínio Lopes [antigo Hospital Geral] que mostram a queda de um forro do teto e um gato em cima de um monitor cardíaco.
gato
De uma coisa você pode ter certeza: em busca de tratamento, ele não estava
As imagens atestam o sucateamento das unidades da Rede Estadual de Saúde.  “É chocante!”, disse Andrea.
A Secretaria de Estado da Saúde ainda não se pronunciou sobre o caso.
Fonte: Blog do Ronaldo Rocha 

Nos EUA, mulher xinga policiais e ganha 100 mil dólares

Lidar com policiais no Brasil não é algo que podemos chamar de fácil. Envolve todo um exercício sobre não irritar os “homens da lei” e acabar sendo preso por desacato, o crime guarda-chuva que as autoridades usam ao ficarem chateadas quando você insiste em tratá-las como iguais. Esse negócio de chamar por “você”, pedir justificativas para uma prisão, revidar um xingamento com outro, é algo que nós pobres mortais pagadores de impostos brasileiros já deveríamos ter entendido que são uma prerrogativa única dos que habitam o monte Olimpo estatal.
Isso é diferente em sociedades que o estado é encarado como um provedor de serviços e a liberdade de expressão é sagrada com uma constituição que proíbe até mesmo a criação de leis que a restrinjam.
fuck the police
Mas o caso não acabou por aí. Logo após ser inocentada, Barners entrou com uma ação federal contra o condado afirmando que seus direitos constitucionais, mais especificamente a Primeira Emenda, tinham sido feridos pela ação das autoridades locais.
Por exemplo, Amy Barnes mora no condado de Cobb e ao andar de bicicleta em direção à uma loja viu alguns policiais inquerindo um indivíduo, munida do seu direito de se expressar livremente gritou para ambos fornicarem a si mesmos e ergueu o seu dedo do meio. A câmera corporal instalada no corpo dos oficiais registrou o momento em que seus frágeis egos se abalam e dão voz de prisão a pobre moça por “conduta desordeira”, jogando-a na cadeia local por vinte-e-quatro horas alegando que suas palavras eram uma espécie de incitação ao confronto.  Por mais que você discorde da ideia de insultar pessoas nas ruas, isso definitivamente não deveria ser um crime, e foi algo que o juiz do seu processo concordou ao declará-la inocente e afirmar que “Suas palavras foram insultos, mas como uma questão já bem estabelecida do direito constitucional, elas não constituem uma incitação a violência”.  
Mas o caso não acabou por aí. Logo após ser inocentada, Barners entrou com uma ação federal contra o condado afirmando que seus direitos constitucionais, mais especificamente a Primeira Emenda, tinham sido feridos pela ação das autoridades locais. No início de dezembro do ano passado o condado concordou em pagar 100 mil dólares para ela deixar o processo para lá e todo mundo virar amigo de novo. É uma pena que todo esse dinheiro tenha que vir dos pagadores de impostos de Cobb e não do bolso dos policiais e demais envolvidos.
Agora compare essa história com o caso do fotógrafo que trabalhava para o Grupo Folha, ficou cego de um olho ao ser atingido por uma bala de borracha disparada pela polícia e foi considerado culpado de sua própria agressão.